Implante auditivo osteointegrado

Como funcionam os implantes auditivos de condução óssea

Para perdas auditivas mais significativas ou profundas, um aparelho auditivo pode ser insuficiente. Nestas circunstâncias é considerada a colocação de um implante auditivo, que também pode ser uma boa solução para quem tenha perda auditiva e não possa usar aparelhos auditivos. Os chamados implantes auditivos osteointegrados são dispositivos eletrónicos de alta tecnologia que devolvem às pessoas o som, por via de condução óssea direta.

Implantes auditivos discretos

O implante auditivo osteointegrado ou de condução óssea destina-se principalmente a pessoas com surdez condutiva, surdez unilateral ou perda auditiva mista. O implante auditivo transmite o som diretamente para o ouvido interno, por condução óssea, contornando assim o ouvido externo e médio. Os implantes auditivos osteointegrados têm tornado-se uma das melhores alternativas para pessoas com problemas auditivos no ouvido externo ou médio. Em Portugal, já muitas pessoas beneficiam desta solução e usufruem agora de uma audição mais nítida e sem distorção, graças a este implante confortável e discreto. Caso tenha interesse, saiba que pode comprovar os benefícios desta solução antes mesmo da sua colocação cirúrgica. Para mais informações entre em contacto com o centro auditivo Minisom mais próximo da sua localidade.

Como são compostos e como funcionam?

Embora a mais conhecida seja a via aérea, o corpo humano também pode conduzir sons através do osso. É justamente essa faculdade que é aproveitada pelos implantes auditivos osteointegrados que, sem forçar o canal auditivo, transferem o som através do osso diretamente para o ouvido interno. O resultado é um som mais nítido e claro, sem a distorção ou feedback às vezes associado aos aparelhos auditivos. Um implante auditivos osteointegrado é composto por duas partes:

  • Um pequeno implante de titânio localizado no osso atrás da orelha.
  • Um processador de som ligado ao implante. 

A mecânica de funcionamento do implante auditivo osteointegrado é explicada em três fases:

  1. O processador de som recebe o som exterior e converte-o em vibrações sonoras.
  2. O processador envia essas vibrações ao implante ao qual se encontra ligado.
  3. O implante que é fixado ao osso (osteointegração) transfere essas vibrações diretamente para o ouvido interno (cóclea), sem passar pelo ouvido externo ou médio. Graças a essa ligação direta entre o processador de som e o osso através do implante, o som fica mais claro e fácil de ouvir e de compreender.

Benefícios dos implantes osteointegrados

Os implantes auditivos osteointegrados são uma alternativa válida aos implantes cocleares e podem ser aplicados de uma forma mais rápida e simples. De entre as suas principais vantagens destacamos: 

  • Facilitam a compreensão da fala e dos sons. 
  • Oferecem um som de qualidade, sem distorção ou feedback. 
  • São confortáveis e têm um design discreto.

Este implante auditivo é adequado a mim?

O implante auditivo osteointegrado é a opção mais indicada para adultos e crianças (a partir dos 5 anos) com perda auditiva provocada por problemas no ouvido externo e médio, pois nesses casos os aparelhos auditivos têm que amplificar muito o som, que acaba por ficar mais distorcido. Existem três tipos de perda auditiva em que este tipo de implante auditivo pode ser o mais adequado:

1. Perda auditiva neurossensorial num ouvido

É o tipo mais comum de perda auditiva e é causada por problemas no ouvido interno ou nas vias nervosas. Embora a transmissão do som através do ouvido externo e médio para o interno possa ser normal, a informação não pode ser codificada em sinais elétricos que o cérebro possa usar. No caso de pessoas com este tipo de perda auditiva num só ouvido, o processador de som do implante osteointegrado transmite o sinal sonoro para o ouvido, permitindo assim uma comunicação de qualidade, em qualquer circunstância ou cenário.

2. Perda auditiva condutiva

A perda auditiva condutiva é causada por um bloqueio da transmissão do som através do ouvido externo ou médio. Esse bloqueio pode ser causado por otite média crónica, otosclerose (calcificação que reduz a mobilidade do estribo), malformações do ouvido externo ou um tímpano perfurado. Nesse tipo de perda auditiva, o implante osteointegrado permite contornar o ouvido médio e usar as vibrações externas para transmitir sons diretamente à cóclea.

3. Perda auditiva mista

Este tipo de perda auditiva é uma combinação de perda auditiva condutiva e perda auditiva neurossensorial. Uma infeção crónica pode, por exemplo, causar surdez mista se danificar o tímpano e os ossículos, impedindo assim o bom funcionamento da cóclea. Os aparelhos auditivos convencionais podem piorar essa situação ao bloquearem fisicamente o canal auditivo, aumentando assim o risco de irritação e de reinfecção. Com um implante auditivo osteointegrado, o canal auditivo permanece sempre aberto, o que ajuda a mantê-lo seco e saudável. Como informação complementar, saiba ainda que uma perda auditiva mista também pode ser causada por atresia do ouvido, ou seja, uma malformação do ouvido externo em que o canal auditivo se encontra ausente ou é muito estreito.
Audiologista dá ultimas indicações auditivas antes do casal sair.

Agende a sua consulta gratuita

Independentemente da sua idade, deve realizar regularmente um teste à sua audição. Saiba que os nossos audiologistas podem ajudar.

Descubra como está a sua audição

Marque uma consulta auditiva gratuita

Agendar agora

Faça um teste auditivo online

Iniciar teste

Encontre o centro auditivo mais próximo

Procurar centro