Skip to main content

Aparelhos auditivos: o que são e como funcionam?

Um aparelho auditivo é um sistema ultra miniaturizado eletroacústico de alta tecnologia, que se coloca dentro do ouvido ou atrás da orelha, e que amplificam e processam os sons seletivamente, filtrando os ruídos prejudiciais à comunicação.

São muito pequenos e integram características tecnológicas inovadoras que tornam mais agradável e compreensível a audição de todo o tipo de sons, nas mais diversas circunstâncias da nossa vida.

Os aparelhos auditivos da Minisom conseguem corrigir o que é necessário, removendo o excesso de ruído, e são programados para compensar a perda auditiva nas exatas frequências e intensidades sonoras que o seu utilizador necessita.


Como funcionam os aparelhos auditivos?

Todos os aparelhos auditivos integram um ou mais microfones para captar o som, um processador que melhora o sinal sonoro, um transmissor que o envia para o ouvido e uma pilha ou bateria como fonte de energia. Todos estes componentes integram os vários modelos e estilos de aparelhos auditivos e estão preparados para se adaptarem aos desejos e necessidades dos seus utilizadores.

De uma forma simplicista, podemos dizer que o funcionamento do aparelho auditivo tem três fases principais:

  • O microfone que capta o som ambiente;
  • O processador que melhora o sinal sonoro;
  • A emissão do sinal sonoro amplificado para o ouvido, para que o cérebro processea informação.

Ajustes Programáveis

Actualmente, os aparelhos auditivos são programáveis. Isto é, as características especiais do aparelho auditivo podem ser ajustadas para cada utilizador, recorrendo a um software especial instalado num computador.

Os aparelhos auditivos são personalizados tendo em conta, simultaneamente, a perda de audição e as preferências da pessoa que os vai usar.


Vantagens do uso de um aparelho auditivo

O aparelho auditivo torna possível ouvir com mais clareza os sons que não ouve há muito, como por exemplo o canto dos pássaros, o toque de uma campainha, o uivo dos ventos ou som do mar.

O tratamento da perda de audição está muitas vezes associado a melhorias na autoconfiança e na saúde física e mental. Contudo, nenhuma pessoa tem uma perda auditiva igual, pelo que cada experiência é única e deverá ser cuidadosamente estudada.

Estudos feitos comprovam que a utilização de um aparelho auditivo melhora a qualidade de vida da pessoa e ajuda a:

  • Melhorar o bem-estar físico e a sentir-se bem consigo mesmo;
  • Ter um melhor relacionamento com a família e amigos;
  • Concentrar-se melhor;
  • Sentir-se capaz de produzir mais no trabalho;
  • Sentir-se menos cansado e exausto;
  • Sentir-se mais independente e segura.

A tecnologia dos aparelhos auditivos

Hoje os aparelhos auditivos são digitais, pelo que o processamento do som é realizado através de algoritmos complexos que o separam em diferentes áreas de frequências e melhoram cada área seletivamente, de acordo com as necessidades do utilizador. Estes algoritmos tornam possível a separação das vozes do ruído de fundo e a diferenciação das frequências, de modo a que os sons suaves e moderados sejam ouvidos mas os altos não sejam amplificados.

Os mais avançados integram características que possibilitam a ligação a equipamentos áudio, televisões, telemóveis, entre outros.

Características/Funções Avançadas

Assim que há um aumento do nível de tecnologia, os aparelhos auditivos tornam-se mais automáticos e são equipados com funções mais sofisticadas, de forma a satisfazer cada vez melhor as necessidades das pessoas que se encontram em situações de audição mais exigentes e dinâmicas. Eis um resumo das principais tecnologias que os aparelhos auditivos atualmente disponibilizam aos seus utilizadores:

  • Sistemas de Microfone Direcional: dá preferência aos sons à frente do utilizador e reduz o som que venha de outras direções, melhorando a compreensão do discurso em ambientes de ruído (festas, restaurantes, concertos etc.).
  • Redução Digital de Ruído (DNR): determina se o sinal contém ruídos indesejados e reduz o nível de ruído, se existente. Os ruídos de fundo tornam-se menos incomodativos e, consequentemente, a audição fica mais confortável.
  • Redução de Ruídos Repentinos: “amortece” o impacto de barulhos irritantes, tal como o tilintar de chaves ou da loiça, ajudando a melhorar o nível de conforto da audição do seu utilizador.
  • Redução de Ruído do Vento: reduz o sopro e o assobio do vento que passa através dos microfones do aparelho auditivo, tornando assim a audição mais confortável.
  • Telecoil/Autocoil: capta a indução magnética presente em alguns telefones, em sistemas aparelhagens de som e previne ou elimina os apitos ou feedback gerado, para que o utilizador usufrua de uma audição perfeita.
  • Bluetooth e Wireless: permite que os aparelhos auditivos possam conectar-se sem fios aos telemóveis, computadores, televisores e outros instrumentos com a mesma tecnologia.
  • Data Logging: armazena informação sobre os ambientes de escuta e os ajustamentos que tenham sido feitos, por forma a que o audiologista os tenha sempre em conta e assim possa melhorar as configurações dos aparelhos auditivos.
  • Learning/Training: transforma os aparelhos auditivos em verdadeiros autodidatas, permitindo-lhes basear-se nas alterações feitas pelo utilizador, como por exemplo no volume de som, para fazerem estas mudanças automaticamente.

Amplificadores auditivos e Aparelhos Auditivos não são a mesma coisa!

Existe muita confusão entre um amplificador auditivo e um aparelho auditivo. Mas a explicação é fácil. O amplificador auditivo, tal como o nome indica, amplifica todo o som por igual, incluindo o ruído e todos os barulhos que são prejudiciais à audição humana, uma vez ele não consegue perceber o que é bom e o que é mau, nem tão pouco ajustar-se às necessidades específicas do seu utilizador.

No outro extremo, está o aparelho auditivo que é um sistema inteligente programado para compensar e corrigir a perda auditiva nas exatas frequências e intensidades sonoras que o seu utilizador necessita. Os modelos mais avançados podem, inclusive, ajustar-se automaticamente ás circunstâncias no meio sonoro onde o utilizador se encontrar lhe proporcionar, a cada momento, uma audição perfeita e cómoda.

Diferenças entre amplificadores e aparelhos auditivos

AMPLIFICADORES AUDITIVOS APARELHOS AUDITIVOS
 Não são equipamentos médicos nem estão regulamentados.  São dispositivos médicos, regulamentados para corrigir a audição.
 Aumentam todas as frequências por igual, mesmo as que não precisa e as prejudiciais - comprometem a audição.  São programáveis à perda auditiva específica que o seu utilizador tem - melhoram a audição.
 Difíceis de colocar, incómodos e grandes.  Com micro tecnologia, que os possibilita serem quase invisíveis, disponíveis em várias cores.

Os Perigos ocultos dos Amplificadores Auditivos

  • Mascaram o problema da perda de audição e a necessidade de cuidado médico;
  • Adiam o diagnóstico do problema de perda auditiva, que se detetado a tempo pode ser reversível;
  • Os elevados níveis de som que debitam e a sua fraca qualidade danificam a capacidade auditiva da pessoa;
  • Não têm em conta o arejamento do canal auditivo, pelo que podem causar infeções que, se não tratadas, podem conduzir à surdez;
  • A sua comercialização não é regulamentada, podendo alguns deles colocar em risco a saúde auditiva dos seus utilizadores.

Necessita de saber mais sobre os nossos Aparelhos Auditivos?

Saiba que os nossos audiologistas podem ajudar! Agende já a sua consulta de avaliação gratuita em baixo ou ligue para o número grátis 800 100 210.

MARCAR CONSULTA GRÁTIS

Pilhas grátis para TODOS